Diferenzas entre revisións de «Narrativa»

comezo
(porémolo en galego)
 
(comezo)
{{entradución}}
A '''narrativa literárialiteraria''' costumaacostuma sepresentarse apresentar emen forma de [[prosa]], masmais pode ser tambémtamén emen [[verso]]s (EpopéiaEpopea, Romanceiros). Se tivermos de definir o texto narrativo de forma sucinta, citando a Carlos Reis diremos que o texto narrativo é umun processoproceso de exteriorizaçãoexteriorización, umaunha atitudeactitude objetivaobxectiva e baseada na sucessividadesucesividade.
No [[século XX]], a partir do [[estruturalismo]], surge uma espécie de teoria semiótica da narrativa (ou [[narratologia]]) que propõe-se estudar a narratividade em geral ([[romance]]s, [[conto]]s, [[filme]]s, [[espetáculo]]s, [[mito]]s, [[anedota]]s, [[canção|canções]], [[música]]s, [[vídeo]]s). Encabeçados por [[Roland Barthes]], estes estudos pretendem encontrar uma "gramática" da narrativa, mais ou menos como [[Saussure]] encontrara para a fala. É a partir daí que surgem as fichas de leitura e os estudos sobre o narrador, os actantes, as estratégias narrativas de determinada escola, entre outros.
[[Roland Barthes]], mestre no estudo da narrativa, afirma que "a narrativa está presente em todos os tempos, em todos os lugares, em todas as sociedades, começa com a própria história da humanidade. (...) é fruto do génio do narrador ou possui em comum com outras narrativas uma estrutura acessível à análise".
 
No [[século XX]], a partir do [[estruturalismo]], surgexorde umaunha espécieespecie de teoria semiótica da narrativa (ou [[narratologianarratoloxía]]) que propõe-sepropón estudar a narratividade emen geralxeral ([[romancenovela]]s, [[conto]]s, [[filme]]s, [[espetáculoespectáculo]]s, [[mito]]s, [[anedotaanécdota]]s, [[canção|cançõescanción]]s, [[música]]s, [[vídeo]]s). EncabeçadosEncabezados por [[Roland Barthes]], estes estudos pretendempretenden encontrar umaunha "gramática" da narrativa, mais ou menos como [[Saussure]] encontrara para a fala. É a partir daíde aí que surgemsurxem as fichas de leituralectura e os estudos sobre o narrador, os actantes, as estratégiasestratexias narrativas de determinada escola, entre outros.
==Ação==
[[Roland Barthes]], mestre no estudo da narrativa, afirma que "a narrativa está presente emen todos os tempos, emen todos os lugares, emen todas as sociedades, começacomeza comcoa apropia própria históriahistoria da humanidade. ([...)] é frutofroito do génioxenio do narrador ou possuiposúe emen comumcomun comcon outras narrativas umaunha estrutura acessívelacessíbel àá análise".
A ação é o conjunto de acontecimentos que acontecem num determinado espaço e tempo.
 
[[Aristóteles]], em sua [[Poética]], já afirmava que "sem acção não poderia haver tragédia". Sem dificuldade se estende o termo tragédia à narração, e assim a presença de '''acção''' é o primeiro elemento essencial ao texto narrativo.
==Acción==
A açãoacción é o conjuntoconxunto de acontecimentosacontecementos que acontecemtranscorren numnun determinado espaçoespazo e tempo.
[[Aristóteles]], emna sua [[Poética]], xa afirmavaafirmaba que "semsen acçãoacción nãonon poderia haverhaber tragédiatraxedia". SemSen dificuldadedificultade se estende o termo tragédiatraxedia àá narraçãonarración, e assimasí a presençapresenza de '''acçãoacción''' é o primeiro elemento essencialesencial ao texto narrativo.
 
===Estrutura da Narração===
==Ligazóns externas==
* [http://www.bibvirt.futuro.usp.br/textos/literatura] -
 
[[categoría:Narrativa]]
 
[[da:Narrativ]]
13.785

edicións